O deus da Doença

img_9581

O deus da doença

A doença se pode definir em uma só palavra: separação.

Representa uma decisão pessoal, para provar que o sistema do ego é verdadeiro e o espiritual é uma mentira.

De fato Jesus atuava assim:

Mateus 9:5 Pois qual é mais fácil? Dizer: Perdoados te são os teus pecados; ou dizer: Levanta-te e anda?

Marcos 2:9 Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados; ou dizer-lhe: Levanta-te, e toma o teu leito, e anda?

A cura esta exatamente em desfazer este pensamento de separação, de dor, de sofrimento, de pobre coitado, de não merecedor.

A cura é a união da pessoa com ela mesma. É o que chamo de integração. Isso não significa unir-se com outra pessoa. Outra pessoa está fora e a doença não tem nada haver com o que passa fora da pessoa. Esta dentro!

Si a doença é um sistema de pensamento na mente, então a união deve ocorrer dentro da pessoa “enferma”. Que acredita estar enferma. A enfermidade não existe.

Uma mente doente vê um corpo doente e separado de si mesmo. A cura é desfazer esse pensamento na mente. Por isso Jesus dizia: “levanta-te e anda” e a pessoa andava, porque mudava o sistema de pensamento.

Não existe nada exterior a ti!

Se tudo passa no nível da mente, nada tem haver com o corpo. O corpo templo do Espírito Santo está esperando a coerência! Para viver a felicidade parte integrada do ser humano.

A cura de qualquer doença esta na mente. O efeito placebo demonstra que a nossa humanidade errou o alvo. Bem disse Einstein: “A mente é igual a um pára-quedas, só funciona se abre.” E agora nós é dado a oportunidade de sanar a percepção.

Pedimos ajuda ao Espírito Santo não para sarar o corpo, tampouco a mente, e sim que cure a percepção de uma mente que acredita estar doente.

Vem comigo! Ninguém cura ninguém! Nem médico e nem remédio! Com isso não estímulo a que não tome seus remédios. Estimulo a que aprenda a olhar para dentro de si. Assuma a responsabilidade por sua vida, levante-se e ande!

Jung: “Quem olha para fora sonha, quem olha para dentro desperta.”

Despertai! A Matrix da indústria farmacêutica domina.

“Eu não vejo doenças, vejo pessoas distantes da sua própria essência” Coach Giardino

Desapego

Desapego_coach_giardino

“Essa necessidade de esquecer seu eu na carne estranha é o que o homem chama nobremente de necessidade de amar” C. Baudelaire

A disputa de poder é um desprendimento de energia desnecessário. Quem é mais? o homem ou a mulher? Mais em que? Esta demonstrado que a guerra é sempre uma atitude de um “ego” infantil, prepotente e arrogante.
Ninguem é mais ou melhor que ninguem. Como posso sonhar com um amor democrativo, se na guerra não há democracia? Em um amor equilibrado, se dependo emocionalmente do outro. Quem precisa mais de quem? Quem depende mais de quem?
À necessidade cega, e o apego me faz ver coisas que não são. Me faz acreditar que sou vulnerável, que minha fonte de segurança e o meu porto seguro esta do outro lado, na outra pessoa.
O apego é a incapacidade de renunciar ao outro. Este vicio afetivo é uma doença. Não permitir ao outro ir, andar livremente. A vida é cheia de acordos, e confundo acordo com um contrato vitalício de submissão irrevogável e irretratável. Um acordo pode ser desfeito, a qualquer momento por ambas partes.
O amor é parte de fazer e desfazer acordos sem feridas e sem lutar pelo poder. Posso pensar? Uma pessoa que em sua santa coerência descobre que a pessoa que esta ao seu lado, não é o amor de sua vida. O que fazer? Jogo anos “fora”? (justificativa insana) ou avanço no aqui e no agora? (razão para ser feliz) ui…e o que vão dizer as pessoas? O que vai achar a família? As “portas” se fecharam para mim? Aprender a fechar ciclos é um grande sinal de maturidade emocional.
O poder no equilíbrio, dividido e ponderado elimina a guerra, desvanece o “ego”. Não há melhor e não há pior. Seres livres, são seres autônomos, seres coerentes que sabem fazer acordos, finalizar ciclos e permitir o ir e vir da vida.
As célula renasce a cada dia; o amanhecer cada manhã; o meu ser cresce e melhorar dia trás dia; o meu amor por mim ressignifica cada dia.

O desapego não é desordem é autoestima. Não é morte é vida. Primeiro cuido de mim, me amo e me dou o melhor. Assim posso seguir com a busca diária da minha coerência.

Não aceito esmolas, mereço o melhor. Gratidão ao desapego, a este dia.

Coach Giardino
Master Coach Internacional