Qual é a diferença entre o Coaching e a Psicologia Clinica?

A área de Coaching tem crescido muito não só no Brasil como no mundo. Nos EUA, a  International Coach Federation (ICF) – Federação Internacional de Coach – conta com mais de 17 mil membros. Neste texto, vou explicar as diferenças entre o Coaching e a Psicologia Clínica. O texto procura ser uma resposta para os leitores do site que tem perguntado sobre a diferença e o que seria melhor para o que eles estão buscando.

O Eduardo e o Aloísio, em especial, me escreveram a respeito de suas dúvidas a sobre o limite entre ambas as áreas, estando a pessoa na situação de procurar um profissional ou estando do outro lado, buscando a formação profissional.

Então vamos explicar em que consiste cada uma das atuações, ok?

Sobre a psicologia clínica, já falei em outro texto. Recomendo que você leia também – O que é psicologia clínica?

O que é Coach ou Coaching?

Coach quer dizer treinador, em inglês. Coaching, treinamento. De acordo com o IIC, International Institute of Coaching, “o Coaching é uma ferramenta simples, porém, efetiva de desenvolvimento entre o cliente e o Coach, que sustém e mantém o crescimento da personalidade e das competências”.

A palavra Coach é utilizada para o profissional que atua com Coaching e o cliente é chamado de Coachee.

Existem alguns nichos do Coaching:

Life Coaching – (literalmente, Coaching da vida)

Neste, a relação entre o cliente o Coach é estabelecida na resolução de problemas específicos, embora a orientação seja sistemática e geral. O foco é na facilitação do crescimento em muitas áreas da vida – tanto no trabalho como na vida pessoal.

Executive Coaching – (Coaching Executivo)

Como o próprio nome já diz, o Coaching Executivo trabalha em função do aumento das competências profissionais para pessoas que possuem ou almejam possuir cargos executivos em médias ou grandes empresas. Os objetivos em geral são para que o cliente fique à vontade para crescer profissionalmente. Por exemplo, quando alguém sobe de cargo ou é promovido a uma posição de executivo, pode precisar “aprender” ou aperfeiçoar determinados comportamentos, como ser um líder, delegar, saber gerenciar o próprio tempo.

Coaching Empresarial ou Corporativo

Neste caso, a ideia é semelhante ao Executive Coaching, mas é a empresa quem contrata o serviço de coaching para que um funcionário ou grupo de funcionários consiga atingir os objetivos profissionais.

Os treinamentos realizados pelo departamento de Recursos Humanos ou agências terceirizadas também se enquadram nesta categoria.

Além destes tipos de Coaching, podemos citar os seguintes que são auto-explicativos:

1) Coaching Pessoal (para a vida pessoal);

2) Coaching de Carreira;

3) Coaching para relacionamentos (amorosos ou outros);

4) Coaching para pais;

5) Coaching para Esportes;

6) Coaching para Jovens;

7) Coaching para escritores (com o objetivo de ajudar na redação ou publicação de textos como dissertações, teses de doutorado, livros e outros materias);

8) Coaching para concursos;

9) Coaching emagrecimento;

10) Coaching Educacional.

Qual é a diferença entre o Coaching e a Psicologia Clinica ou Orientação Profissional?

A diferença fundamental é que a psicologia é mais ampla que o Coaching. No consultório de psicologia, podemos trabalhar não só com objetivos específicos – como é a resolução de um problema – como também com questões mais gerais ou existenciais como o sentido da vida e o significado profundo de uma relação com os outros. Também na terapia, podemos investigar a fundo determinados problemas ou sintomas que vem desde há muito tempo, possivelmente desde a infância. (Foco no passado)

O Coaching por outro lado tende a ser breve e focado na resolução de dificuldades específicas. Embora na definição anterior tenhamos visto que também existe o Coaching da Vida (Life Coaching), podemos assumir que o enfoque não será de profundidade, mas sempre tendo em vista atingir um objetivo futuro. Esta é uma grande diferença. (Foco no futuro)

Por outro lado – para confundir um pouco – podemos também encontrar abordagens da psicologia que são mais diretivas e são focadas na pura resolução de problemas ou sintomas.

Para ajudar na explicação, vamos pensar em uma dificuldade, em um sofrimento que uma pessoa pode ter. Digamos, viajar de avião. Este é um sintoma, ok?

Como podemos resolver este sintoma?

Podemos ajudar o paciente através da terapia psicológica ou através do Coaching. Algumas abordagens da psicologia, como as baseadas na psicanálise, vão abordar a dificuldade mas de uma outra forma que apenas a da sua resolução. Pois, por detrás deste sintoma, há a causa deste sintoma. Se tratarmos apenas o sintoma, a tendência é que ele retorne como um outro sintoma de medo, como o medo de andar de elevador ou o medo de dirigir, etc.

Através do Coaching, com técnicas de PNL – programação neurolinguística se busca a consciência, o planejamento e ação. Razão dos resultados rápidos e efetivos.

Por Professor Felipe de Souza | Orientação Profissional, Psicologia adaptado por Coach Giardino

Diagrama de Pareto: Solucionando 80% dos problemas recorrentes

A Análise de Pareto, realizada através do Diagrama de Pareto, é uma técnica estatística utilizada na tomada de decisão que permite selecionar e priorizar um número de itens capazes de produzir grandes efeitos na melhoria dos processos.

Ela utiliza o Princípio de Pareto (também conhecido como regra 80/20), a ideia de que 80% dos resultados corresponde a apenas 20% dos fatores, o que justifica a priorização.

Ou, em termos de melhoria da qualidade, a grande maioria dos problemas (80%) são produzidos por apenas algumas causas essenciais (20%).

Diagrama de Pareto

No final de 1940 o guru de gestão da qualidade Joseph M. Juran sugeriu o princípio associado ao economista italiano Vilfredo Pareto, que havia observado que 80% da renda na Itália provinha de apenas 20% da população.

Pareto depois realizou estudos sobre uma série de outros países e para sua surpresa encontrou uma distribuição similar em todos eles.

Apilcação da regra 80/20

  • 80% das reclamações dos clientes surgem a partir de 20% de seus produtos ou serviços;
  • 80% dos atrasos no cronograma surgir a partir de 20% das possíveis causas dos atrasos;
  • 80% do lucro de uma organização provem de apenas 20% de seus produtos ou serviços;
  • 20% de sua força de vendas responde por 80% do faturamento da sua empresa;
  • 20% de defeitos nos sistemas operacionais causam 80% dos seus problemas;
  • 20% dos estoques respondem por 80% dos custos;
  • 20% dos defeitos geram 80% das reclamações;
  • 20% das causas de paradas de máquinas industriais são responsáveis por 80% do tempo em que a máquina fica parada;

Diagrama de Pareto

Alguns estudos mostram que 80% do faturamento de uma empresa advém de 20% dos clientes.  Ou seja, o Diagrama de Pareto mostra a relação desigual entre causas e efeitos.

Como usar o princípio de Pareto?

Conseguir avaliar dentro do seu negócio quais os 20% de esforço que representarão 80% de melhoria, pode trazer muitos benefícios para:

  • Retenção de clientes;
  • Eliminação de desperdícios;
  • Redução de custos;
  • Aumento de vendas;
  • E principalmente aumento da lucratividade.

Tenha um objetivo claro para aplicar o princípio

É fundamental que, antes de fazer a aplicação do Diagrama de Pareto, você tenha um objetivo dentro da empresa.

Esse objetivo pode ser eliminação de desperdícios, redução de custos, a redução de estoques, a redução nas devoluções de produtos, etc.

O que será avaliado não pode ser escolhido de qualquer maneira, pois pode produzir um esforço desnecessário e uma enorme perda de tempo.

Diagrama de Pareto

Faça um levantamento dos dados

Para dar início à aplicação desse princípio, é necessário fazer um levantamento dos dados a respeito do que vai ser estudado.

Se formos fazer uma análise sobre problemas ocorridos, deve ser feito um estudo sobre os problemas ocorridos em um determinado período de tempo.

Recomenda-se que esse prazo não seja muito curto para não reduzir a possibilidade de dados distorcidos.

Como aplicar o Diagrama de Pareto?

Siga 3 passos básicos:

  1. Primeiramente determine o objetivo do diagrama, ou seja, o você quer investigar exemplo: Principais Perdas na Produção;
  2. Construa uma planilha no Excel com os dados de interesse e defina o tipo de perda, classifique da maior para a menor quantidade;
  3. Defina na tabela o tipo de perda e a quantidade reprovada, o Excel vai calcular a %, a % acumulada e vai gerar um gráfico.

Diagrama de Pareto

Repare que o gráfico é uma composição de barra e linha, que são dispostos em 2 eixos verticais (y).

O eixo à esquerda representando a % de falhas e o eixo à direita representando a % acumulada.

Diagrama de Pareto

Visualizando o gráfico acima, fica fácil identificarmos onde estão os 80% dos problemas vitais. Neste caso, eles se concentram em:

  • Diâmetro fora do especificado;
  • Comprimento fora do especificado;
  • Deformação.

Portanto, para o envolvimento da equipe nas ações de resolução dos problemas, os esforços devem ser concentrados nestes 3 itens.

Observe que, uma vez resolvidas as três primeiras causas, você estaria solucionando 80% das reclamações.

Outros exemplos de Pareto

Diagrama de Pareto

 

Diagrama de Pareto

 

Diagrama de Pareto

Fonte:

Edson Miranda Possui 27 anos de experiência no processo qualidade, cinco certificações ISO 9001, uma ISO/TS 16949 e vários projetos para melhorar a qualidade, aumentar a produtividade, eliminar desperdícios, reduzir custos, melhorar a organização, segurança e o relacionamento com clientes e fornecedores, e estou me especializando em energia limpa renovável e sustentabilidade.