Curando o coração com Coach Giardino

Curando o coração

“O espírito do homem aliviará a sua enfermidade, mas ao espírito abatido quem o levantará? Provérbios 18:14

As feridas física tem um período de cicatrizar bem rápido, pela sua identificação, pelo cuidado e tratamento adequado. Somos impulsionados a tomar atitudes rápidas.

As chamadas feridas de alma, proveniente da família, de amigos ou cônjuges. São de difícil identificação, por estar dentro, guardada e protegida. Por outro lado, por serem provenientes de relações próximas, descaracterizamos os fatos pela proximidade ou cercania da relação e escondemos (muitas vezes inconscientemente).

Quando as feridas são geradas?

– No ventre da mãe;

– Na infância;

– Nas experiência da vida adulta.

Causas das feridas:

abandono, pouco afeto, afeto exagerado, rejeição, controle, manipulação, conflitos nas relações…

Assumindo responsabilidades:

Identificar as causas;

Enfrentar o passado conhecido e o oculto;

Aceitar o Amor, como verdade única da vida.

Venha fazer este maravilhoso trabalho de restauração espiritual, emocional e físico:

Prerada para encontrar sua genuína essência?

Preparada para lidar com a dor?

Preparada para enfrentar seu passado?

Preparada para ser verdadeira e sincera com você mesma?

Se você respondeu sim as perguntas, é hora de curar as feridas emocionais.

O programa individual, consiste em 21 dias para curar seu coração e sua alma.

3 semanas de desafio pessoal, onde você vai entrar em contato com suas dores profundas e sana-las.

1 semana

Encontro de abertura (gratuito)

História de vida + 1 encontro (on-line)

2 semana

Identificar as causas + 1 encontro (on-line)

3 semana

Enfrentar o passado e aceitar o Amor + 1 encontro (on-line)

Duração: 21 dias (aproximadamente 3 semanas)

Encontros por vídeo conferência 1h30 (1 vez por semana) + encontro de abertura gratuito.

Investimento

A vista R$ 499,00

Parcelado R$ 3 x 230,00

Parcelado R$ 5 x 150,00

Vem comigo!

Coach Giardino

Coach de Pessoas

Mediador de Conflitos

Estratégias para desenvolver a CNV – A Linguagem da Vida

Percepção_com_Coach_Giardino

A Linguagem da vida – Comunicação não Violenta *CNV (Nonviolent Communication: A Language of Life em Inglês, de Marshall Rosenberg, trata de um assunto que  vem ganhando destaque aos poucos no Brasil. Uma ferramenta já trabalhada a muitos anos nos Estados Unidos e na Europa. Que faz parte do processo de Coaching de Giardino.

No ano de 2015, estava terminando a minha certificação para Life Coach, pela EEL Espanha. Apesar de ter estudado aspectos da comunicação corporal e feedback, ferramentas poderosas. Até aquele momento, não tinha tido o contato com a expressão Comunicação não violenta.

Em uma das sessões, um cliente me diz: – Ricardo, você conhece a comunicação não violenta? respondi: – não, vou anotar e pesquisar. Ele me respondeu: – Ricardo, tem aspectos do seu trabalho que lembra este tipo de comunicação…

Achei aquilo perfeito, fui pesquisar, ver videos e ler livros sobre o assunto. No ano de 2016, de volta a Espanha por uma temporada de quatro meses, resolvi investigar se havia cursos sobre o assunto. Encontrei vários grupos de estudos sobre a comunicação não violenta. Em Sitges, Osona, Igualada e em Barcelona,  O grupo de Sitges,  estava bem próximo a mim, uma linda cidade costeira próxima a Barcelona foi o destino.

Resultado de imagem para sitges
Cidade de Sitges a 30km de Barcelona

A proposta da Comunicação para a vida, extrapola aquilo que conhecemos e nos foi ensinado sobre comunicação, a CNV nos leva a nossa essência, a forma para a qual realmente devemos utilizar para a comunicação fluir. É um convite para olhar para dentro de si, para o outro e para as relações, com um outro olhar. O olhar da verdade, da empatia e da compaixão.

UM POUCO DE HISTÓRIA

“ROSENBERG, MARSHALL B. DR. Dr. Marshall B. Rosenberg,  Nascido em Canton, Ohio, em 6 de outubro de 1934, Marshall cresceu em Detroit e graduou-se pela Universidade de Michigan. Obteve seu PhD em Psicologia Clínica da Universidade de Wisconsin em 1961, onde encontrou seu amigo e mentor, o psicólogo Carl Rogers. Recebeu o grau de “Diplomate” do Conselho Americano de Examinadores em Psicologia em 1966.

Marshall iniciou sua carreira profissional em Saint Louis, onde estabeleceu uma clínica bem sucedida. Seu desejo de por as pessoas acima dos ganhos financeiros, assim como sua curiosidade e o desejo de conhecer mais sobre as causas da violência que havia marcado suas experiências de juventude na Detroit urbana cedo o inspiraram a deixar a clínica particular.

Marshall começou a trabalhar como motorista de táxi e a empregar seu tempo pesquisando meios novos e significativos pelos quais poderia aplicar seu treinamento profissional para reduzir formas variadas de violência e disseminar habilidades de pacificação.”

Fonte: Wikipedia

O que é a CNV – Comunicação Não Violenta

São quatro os componentes, propostos a inserir no diálogo consigo e com as pessoas:

observação – observamos o acontecimento. Sem julgamentos e sem juízo de valores (percepção). Regra,  emitir uma declaração do que estamos observando que pode (ou não) ter nos agradado;

sentimento – identificamos e nomeamos o que estamos sentindo em relação ao que observamos. Ou seja, falamos o que estamos sentindo claramente: frustrados, alegres, magoados, irritados, dentre outros;

necessidades – informamos as nossas necessidades, valores e desejos que estão conectados aos sentimentos que nomeamos anteriormente. Em outras palavras, quais são as necessidades que nos fizeram nos sentir daquela maneira. Em momento nenhum culpamos o outro ou as circunstâncias;

pedido (ação) – pedimos que ações concretas sejam realizadas, de forma a atender nossas necessidades. Isso não significa que o outro ira fazer.

Pode parecer fácil praticar a CNV.  Mas acredite, não é. Para você conseguir atingir este nível de consciência na comunicação, é necessária muita dedicação, prática e, principalmente, vontade do coração.

Quando combinamos observação com avaliação, as pessoas tendem a receber isso como crítica. – Marshall Rosenberg

Declarações com julgamento:

– Você é bagunceiro, olha a bagunça que sempre está na sua mesa.

– Você nunca ajuda a equipe.

– Você é preguiçoso, tem um monte de tarefas para fazer.

Declarações sem julgamento

– Sua mesa está bagunçada.

– Você não ajudou a equipe nem ontem, nem hoje.

– Você não fez suas tarefas.

Expressar nossa vulnerabilidade pode ajudar a resolver conflitos. – Marshall Rosenberg

Estrategias para a percepção

A percepção é uma interpretação pessoal. Jamais, um ser humano vai perceber da mesma forma que outro. O que se passa dentro da cabeça de cada um é muito individual.

Como se não bastasse a forma como interpretamos, tem a forma como analisamos as situações negativas. Muitas vezes, temos a tendência (bem pessoal) a ficar repetindo mentalmente as mesmas situações, rumiamos. Seja uma separação, perder o trabalho, ou acontecimentos que não esperávamos.

Estrategias para o bem estar pessoal

Estrategia 1:

Escolhe um momento do dia para meditar de forma ininterrupta durante quinze minutos;

Quando a mente começar a rumiar, feche os olhos e observe seus pensamentos sem segui-los;

Estrategia 2:

Escrava tudo o que esta rumiando, seguindo os passo:

O que me incomoda;

Se aceito, são os pontos favoráveis;

Os contras;

O curso de Comunicação Não Violenta traz exercícios para a vida, se te interessa o assunto, entre em contato agora mesmo.

Coach Giardino

Coach de Pessoas

Mediador de Conflitos

(71) 985454125

contato@ricardogiardino.com