Retirar o aluno da passividade com a Pedagogia de projetos na Educação Infantil

Por Dóris Fialcoff, jornalista.

Entrevista com a doutora em Educação Franciele Fátima Marques, da URI Erechim ao Diário Escola.

O que é, e quais os seus objetivos da pedagogia de projetos na educação infantil?

Franciele – A Educação Infantil, primeira etapa da Educação Básica, corresponde à etapa fundamental no desenvolvimento de uma criança.

Neste sentido, o trabalho deve estar pautado no lúdico e na inserção de metodologias que propiciem a continuidade da criatividade, do espanto e da curiosidade, naturais nesse período.

Trabalhar por projetos é levar em consideração o que as crianças questionam diariamente, o que pensam e de que modo constroem seus processos de aprendizagem.

É uma forma dinâmica de organizar o trabalho, com objetivos e metas claras de construção do conhecimento e de desenvolvimento integral da criança, proporcionando situações significativas de exploração e criação.

O projeto substitui as rotineiras tarefas de treino e repetição, criando um ambiente de investigação e solução de problemas.

Cabe ressaltar que o trabalho por meio de projetos demanda escuta e envolvimento do professor com a turma. Ele partilha situações de aprendizagem e instiga a efetiva participação.

O objetivo principal de um projeto é seguir uma sequência de estudos, com organização prévia e delimitação dos caminhos, com objetivos e metodologia claros.

Um projeto é, por vezes, confundido com atividades didáticas e, em geral, são trabalhados a partir de datas comemorativas (o que não caracteriza projeto). O trabalho com projetos é muito mais amplo e requer o envolvimento de toda a equipe escolar.

img_8632

O que deve ser considerado no momento de elaborar um projeto para educação infantil e o que é preciso constar?

São inúmeras as definições necessárias para a elaboração e aplicação de um projeto para a Educação Infantil.

Antes de mais nada, é preciso haver a compreensão do que é, de fato, um projeto e o que o diferencia das demais atividades didáticas.

A partir desse entendimento, deve-se realizar um estudo aprofundado da realidade das crianças envolvidas e das necessidades de espaço.

Quais os principais passos da elaboração do projeto?

Inicia-se pela delimitação da faixa etária das crianças envolvidas.

Passa-se pela definição do problema, que dará o mote do projeto (pesquisa), pelos objetivos, pela metodologia, pelos recursos utilizados, os espaços disponíveis, os profissionais envolvidos, finalizando com a avaliação deste.

É importante destacar que desde a elaboração até a avaliação do projeto, a pesquisa é constante.

 aprendizagem ocorre em todas as etapas e não envolve apenas conteúdos científicos. Auxilia no desenvolvimento de habilidades afetivas e emocionais, como: trabalho coletivo, respeito às opiniões dos outros, colaboração, convivência, capacidade argumentativa e convivência com as frustrações, os erros e os acertos.

Quem participa da elaboração e por quê?

Se levarmos em consideração a necessidade de um projeto ser construído por todos os envolvidos, este deve ser construído coletivamente.

Pode-se encontrar formas de participação das crianças e de todos os profissionais da educação.

Estamos errados quando pensamos que crianças “não sabem o que querem” ou “o que é necessário para elas e para a escola”.

A sua participação efetiva desde a escolha da problemática de investigação transforma o projeto em algo coletivo. Sendo assim, propicia um maior envolvimento de todos nas decisões.

Esses projetos elaborados em maior escala, além de buscar a participação de todos, devem reunir as turmas em momentos de socialização de resultados e outros.

Que benefícios um bom projeto pode representar?

São inúmeros os aspectos importantes a ressaltar. O primeiro, sem dúvida, é o sentido que um projeto bem planejado e organizado dá ao processo de aprendizagem.

Depois, podemos enumerar a possibilidade constante de relacionar teoria e prática, de inserção da pesquisa e da construção da autonomia da criança.

A ausência ou a elaboração precária de um projeto pode gerar dificuldades ou problemas no processo de ensino-aprendizagem? Quais e por quê?

A ausência de projetos ou o trabalho isolado de cada turma em sequências didáticas ou atividades isoladas transforma o ensino em algo monótono e sem atrativos para a criança.

Isso dificulta o envolvimento e, consequentemente, retarda os processos de elaboração do conhecimento.

Em um espaço em que não há envolvimento constante dos estudantes, o ensino passa a ser de transmissão.

O que significa uma relação de verticalidade do professor com os alunos, o que gera desconforto e impede a criatividade e a aprendizagem.

Gostaria de citar um exemplo de projeto a ser realizado?

Se vamos trabalhar, por exemplo, com a temática da poluição ambiental, tendo como problema: 

  • “Quais os desafios encontrados para auxiliarmos na preservação do meio ambiente?”, precisamos levar em consideração os diferentes conteúdos que podem estar incutidos em um mesmo projeto. Água, separação do lixo, animais em extinção etc.

Assim, não sendo apenas sequências didáticas, os projetos podem ter uma execução de cerca de seis meses.

Ou seja, a escola pode trabalhar com dois projetos anuais e englobar todas as necessidades curriculares.

E inclusive as datas comemorativas, que não serão mais trabalhadas de forma isolada e deslocada do contexto e dos objetivos propostos. Passarão a ser incluídas em um propósito maior.

Qual o maior desafio do trabalho de pedagogia de projetos na Educação Infantil?

É criar condições para que as crianças expandam seus conhecimentos através de experiências e estejam envolvidas na pesquisa.

Neste sentido, professores e estudantes tornam-se pesquisadores e construtores de sua própria prática.

Sete dicas da Doutora Franciele para a elaboração de um excelente projeto!

  1. O tema e o problema escolhidos não podem estar deslocados da realidade dos estudantes;
  1. Os objetivos devem ser claramente traçados, levando-se em consideração a faixa etária das crianças;
  1. A metodologia deve contemplar o lúdico (as brincadeiras, os jogos, entre outros). Isso possibilita a construção da autonomia e do conhecimento de maneira mais atrativa;
  1. A avaliação das etapas do projeto deve ser constante. É preciso perceber as falhas e avaliar formas de melhorá-las, bem como os avanços alcançados;
  1. A inserção da pesquisa, dos questionamentos e do acesso à fontes variadas de informação auxiliam no comprometimento e no envolvimento dos estudantes;
  1. Um projeto não se constitui estanque e, portanto, pode ser modificado e reestruturado sempre que necessário. A flexibilidade na execução é necessária, pois não se pode prever tudo que ocorrerá em cada etapa. A avaliação contribui para essa percepção;
  1. O resultado de um projeto está sempre vinculado a uma ação ou um produto gerado pelos envolvidos. É a possibilidade de as crianças visualizarem suas aprendizagens sendo transformadas em algo concreto. Pode, por exemplo, ser a criação de uma maquete ou a produção coletiva de um livro, mas é importante que sejam decididos a partir da criatividade de todos.

 

Curso de Coach Educacional (Formação de profissional)

Coaching Educacional

Atualmente, muito se fala sobre os benefícios do coaching para ajudar as pessoas a atingir seus objetivos, tanto no âmbito pessoal, como profissional. Essa técnica, que já é amplamente usada em ambientes empresariais, vem sendo cada vez mais adotada pela Educação para motivar equipes e alunos a aperfeiçoar seu desempenho.

A missão do educador é bastante desafiadora. Diariamente, ele tem de enfrentar problemas como indisciplina, falta de comprometimento, dificuldade de aprendizagem, entre tantos outros. Para apoiar os professores nessas questões e ainda incentivar seu desenvolvimento profissional, bons gestores estão aplicando o coaching educacional em suas escolas. As vantagens dessa iniciativa são percebidas em todas as esferas: corpo docente, alunos e equipe de apoio.

O coaching é baseado em questionamentos e conversas, ou seja, não oferece fórmulas ou respostas prontas. Ele impulsiona a mudança de atitudes e de comportamentos e a expansão de consciência. Quem passa pelo processo assume a responsabilidade pelo seu crescimento.
O educador é encorajado a identificar suas necessidades de desenvolvimento e descobrir a melhor solução para seus problemas, sempre com o apoio de um mediador (coach). É uma ferramenta prática que leva o profissional a identificar ações para alcançar seus objetivos.
Feedbacks constantes também são utilizados para o aprimoramento. A solução dos problemas é construída em conjunto, visando o resultado a longo prazo. Assim, o coaching engaja professores e gestores em seu crescimento profissional a fim de trazer melhorias à sua prática.
Aos diretivos, uma reflexão sobre a organização (escola), as circunstâncias, o papel, o desafios como um líder Coach.

Os professores, foco no desenvolvimento de habilidades e competências de professor-coach, um facilitador da aprendizagem.

O Curso Coaching Educacional
Promovido por Formação Europeia de Líderes e Coach Giardino (habilitado por EEL – Escola Europeia de Líderes)
140 horas
Certificação com validez Internacional
Online

 Informações:

Coach Giardino

Coach Educacional

Mediador de Conflitos

Contatos:

Tel.: 00 55 71 985454125

E-mail: contato@ricardogiardino.com