Como Mudar um Paradigma com Coach Giardino

Paradigma_Coach_Giardino_2Como a mente consciente funciona?

E a mente subconsciente?

O corpo é uma expressão da mente?

Os pensamentos que permeiam a mente consciente, modificam substancialmente o instrumento que chamamos de corpo.

O nosso corpo é uma estrutura de moléculas. Uma massa de energia em alta velocidade vibracional.

Nos inventamos uma palavra para traduzir o nosso nível consciente desta vibração: “Sentimentos”

Se eu te perguntar:  como você está hoje? Você pode responder “eu estou ótima” ou “eu não estou me sentindo muito bem”, ou simplesmente “me sinto bem”. Você nunca ouviu ninguém responder: “estou conscientemente desperto de estar emocionalmente envolvida em um ideia negativa”. Então, “estou em uma vibração negativa”.

Conforme vamos compreendendo isso, e nos tornamos conscientes que não estamos nos sentindo muito bem, podemos mudar isso. Requer um certo treinamento, mas você pode fazer isso. Estamos realmente encarregados de como nos sentimos. Nos permitimos, outras pessoas, nos deixar com raiva… nos não precisamos deixar que as outras pessoas tenham este poder, de deixar-nos com raiva. Necessariamente não precisamos reagir as outras pessoas, pois nos podemos responder, nos podemos ouvir o que elas estão dizendo e responder. Bem, entendo a sua opinião, mais não é assim que eu sou. Você pode e deve ter ideias de você mesmo.

Funcionamento da mente

É importante entender como a mente funciona. Entender a relação da mente com o corpo e do corpo com a mente. E são os resultados que desejamos mudar. Os resultados podem estar em nosso corpo. Você pode querer perder alguns quilos. Você pode querer ganhar alguns quilos. Você pode querer ter mais energia.

Observe, 100% da energia que foi e será, está sempre presente em todos os lugares ao mesmo tempo. Tudo é energia. Você sabe, vai ouvir as pessoas dizendo, onde ele recebe toda esta energia? Ninguém recebe energia, todo mundo libera energia. O desejo é um mecanismo de gatilho que libera o fluxo de energia.

A mente consciente tem a capacidade de escolher pensamentos, estes pensamentos se transformam em imagem, estas imagens vão para a mente subconsciente, então, a mente subconsciente expressa isso em ação.

Qual é o problema? A mente subconsciente não sabe rejeitar nada, e muito menos diferenciar o que é real e o que é imaginação.

E como era no começo? Você não tinha nenhuma faculdade de consciência desenvolvida, os fatores sensoriais nem sequer haviam sidos desenvolvidos. Foi assim que você chegou. Isso é chamado de pequena vida. Esse é o bebe. Sem mente consciente. A mente subconsciente esta completamente aberta. Você pode colocar qualquer coisa lá. Observe, sua mente subconsciente é programada pelas interferências externas, é por isso que nos parecemos com nosso parentes. Então, somos programados ambientalmente. Por isso o meio ambiente é mais importante que a hereditariedade.

“O meio social – família, grupos e cultura a que se pertence – desempenha um papel determinante na construção da  personalidade. A personalidade forma-se num processo interativo com os sistemas de vida que a envolvem: a família, a escola, o grupo de  pares, o trabalho, a comunidade…

Uma personalidade é marcada por todo  o processo de socialização em que a família, sobretudo nos primeiros anos, assume um papel muito importante, pelas características e qualidade das  relações existentes e pelos estilos educativos.” Psicologia do Desenvolvimento

Vamos parar e pensar no ambiente em que crescemos. Aqui está o bebe, ideias, pensamentos e conceitos que estão ao redor, estão indo diretamente para a mente subconsciente da criança, por meio de repetições, de novo e de novo e de novo, lembre-se a criança está passando por isso todos os dias, o dia inteiro, todas as semanas, todos os meses, todos os anos e isso acontece por quatro ou cinco anos. Pronto,  depois de cinco ano com todas as repetições, ele está preparado para pensar como as pessoas que o cercam. Se aos 4 e 5 anos, você coloca está criança na escola, ela vai seguir os conceitos da escola. Pense nas pessoas que conviveram com esta criança. Viviam em dificuldades ou em abundância? Se havia falta de dinheiro, dívidas, brigas, murmúrios e limitações. Como espera que esteja depois de cinco anos está criança? Isso parece bizarro, mais é assim que acontece.

Frases do paradigma

“Você tem que se contentar com aquilo que tem”

“Passei dificuldade na infância, agora quero tudo do bom e do melhor”

“Dinheiro é sujo”

“Ter dinheiro é questão de sorte”

“Poupar para que? posso não estar vivo amanhã”

“Dinheiro não trás felicidade”

“O dinheiro sobe a cabeça das pessoas”

“Os ricos são maus e desonesto”

Vamos parar e pensar por um momento. O que acontece com aquele criança quando começar a pensar por si própria? O PARADIGMA CONTROLA A VIBRAÇÃO. A VIBRAÇÃO CONTROLA A AÇÃO, QUE PRODUZ O RESULTADOS. Aqui encontramos a criança com o paradigma. As faculdades se desenvolveram neste ambiente. A criança tem a capacidade de pensar, existe o fluxo de energia nela, ela vai pensar segundo o seu modelo de paradigma encrustado, enraizado pelo ambiente em que viveu. “Se contente com aquilo que tem”… Você não esta obrigado aceitar.

Fonte: Bob Proctor

Experiência com os macacos

Numa experiência científica, um grupo de cientistas colocou cinco macacos numa jaula. No meio, uma escada e, sobre ela, um cacho de bananas.

Quando um macaco subia na escada para pegar as bananas, os cientistas jogavam um jato de água fria nos que estavam no chão. Depois de certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros o pegavam e batiam muito nele.

Mas um tempo depois, nenhum macaco subia mais a escada, apesar da tentação das bananas.

Então os cientistas substituíram um dos macacos por um novo. A primeira atitude do novo morador foi subir a escada. Mas foi retirado pelos outros, que o surraram.
Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo não mais subia a escada.

Um segundo foi substituído e o mesmo ocorreu – tendo o primeiro substituto participado com entusiasmo da surra ao novato.

Um terceiro foi trocado e o mesmo ocorreu. Um quarto e, afinal, o último dos veteranos foi substituído.

Os cientistas, então, ficaram com o grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam batendo naquele que tentasse pegar as bananas.

Se fosse possível perguntar a algum deles por que eles batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria:

“Não sei, mas as coisas sempre foram assim por aqui”.

Você tem questionado os paradigmas estabelecidos em seu local de trabalho ou em sua vida pessoal?

 

Fonte: RHPortal

Não devemos contar a idade pelos anos, mas pelos procedimentos.” Sêneca”

Coach Giardino

Coach e Mentor Educacional

Contatos:

Tel.: 71 985454125

E-mail: contato@ricardogiardino.com

Biodescodificação ou Bioneuroemoção com Coach Giardino

bioneuroemoção_coach_Giardino

Biodescodificação ou Bioneuroemoção

A bioneuroemocion ®: Um método que infere sobre o de bem estar emocional

Os teus pensamentos, crenças e emoções influenciam diretamente em tua qualidade de vida. A bioneuroemoção é uma maneira de compreender os problemas a partir da relação inseparável entre corpo, mente e emoções. É um método com bases científicas, filosóficas e humanistas que estuda as emoções e suas relações com as crenças, a percepção o corpo e as relações interpessoais.

O elemento principal de trabalho é a mudança de percepção e a compreensão da informação transmitida pela cultura e pela família, com o objetivo de conquistar um maior bem estar emocional.

As emoções afetam a nossa fisiologia é algo que já vem de longe. Carl Jung já tinha algumas reflexões de grande clarividência: “A doença é o esforço que faz a natureza para curar o homem”, ou esta outra ” A visão só chegara’ quando cada um olhar dentro do seu coração. “O que olha fora de si, sonha, o que olha dentro de si desperta”, ainda outra para refletir e que dizia: “Antes prefiro ser um homem completo a ser uma boa pessoa”.

Fazendo um salto no tempo teríamos que falar de Hamer e falar de Hamer é polêmico. Mas ha que reconhecer-lhe a sua visão e o seu trabalho em descobrir os mapas cerebrais e encontrar neles a relação biológica, quer dizer, quando se ativam emoções devido aos conflitos que todos temos, tanto biológicos como emocionais. Hamer deixou-nos uma metodologia para aceder ao inconsciente e provocar nele as mudanças necessárias para a cura. Há também uma serie de outros investigadores como Claude Sabbat, Marc Frechet, Anne Schutzenberg, Francoise Dolto, entre muitos outros que contribuíram para isso, buscando as causas emocionais que há’ detrás de cada doença e, mais tarde com o discípulo de Hamer, o Dr Vicens Herrera, desenvolve uma técnica, no ano de 2000, que se chamou de cura emocional.

O nosso cérebro veicula as emoções, gracas ao cérebro emocional, é como um cérebro dentro de outro cérebro.  Ele conta com uma arquitetura distinta, com uma organização celular diferente, e inclusive com propriedades bioquímicas distintas do resto do neocortex. Este cérebro emocional funciona independentemente do neocortex.

O cérebro emocional controla tudo o que rege o bem estar psicológico e uma grande parte da fisiologia do corpo. As desordens emocionais são consequência de disfunções deste cérebro. Estas disfunções teem origem  em experiencias dolorosas vividas no passado e sem relação com o presente, mas que ficam impressas no cérebro emocional. Estas experiencias costumam controlar as nossas percepções, as vezes varias décadas depois.

A tarefa principal da biodescodificação é reprogramar o cérebro emocional de modo a adaptar-se ao presente em vez de continuar a reagir a situações do passado.

biodescodificação ou bioneuroemoção pretende ensinar e acompanhar o cliente a esta zona escura, a esta área de dor ancorada no inconsciente, e substituir a emoção que causa o mal estar.

A biodescodificação ensina-nos a buscar e a encontrar dentro de nós e nos outros a coerência emocional, ensinando-nos, tal como Jesus nos ensinou:

“Não é o que entra pela boca que contamina o homem, mais o que sai da boca, isto sim, contamina o homem” Mateus 15:11

Despertar esta Inteligencia Emocional e ser conscientes do poder que temos de auto-cura. A biodescodificacao é um caminho de consciência.

Extraído do Tratado de Biodescodificacion de Enric Corbera e adaptado por Coach Giardino

COLUNA VERTEBRAL E A RELAÇÃO COM AS EMOÇÕES

biodescodificação_coach_Giardino
Verdades do corpo

A Psicossomática  Biodescodificação vê o Corpo como o expoente máximo da comunicação Inconsciente. Através dele encontramos mensagens que se encontram ocultas a nós próprios, sendo essas fundamentais para a nossa VERDADEIRA sensação de bem-estar.

A coluna vertebral é repleta de todo o tipo de mensagens e, cada divisão anatómica, assinala um conflito emocional muito específico.

A coluna vertebral em si é o reflexo da forma como vivo os meus fundamentos / valores internos. Podemos olhar para a coluna vertebral como um pilar que nos mantém firmes. Os nossos fundamentos e valores (os nossos pilares) caso não sejam respeitados, entramos em conflito emocional e biológico, podendo afetar a coluna em determinados locais e com patologias específicas.

Assim, as patologias que afetam a coluna têm relação com: a minha vida, com o que penso, como o faço, como me relaciono e com a comunicação que tenho com os outros… São os FUNDAMENTOS BASE da nossa vida quotidiana.

A PALAVRA-CHAVE PARA TODO O SISTEMA OSTEOARTICULAR É DESVALORIZAÇÃO. NESTE CASO, EXISTE UMA DESVALORIZAÇÃO EM RELAÇÃO A VALORES CENTRAIS, ESTRUTURAIS, IMPORTANTES PARA MIM, NOS QUAIS NÃO ESTOU CONSEGUINDO RESPEITAR.

Ao nível da arquitetura anatômica, a coluna é a fundação de uma casa e a sua base, toda uma estrutura sólida que suporta tudo o resto, num eixo central onde tudo é sustentado e construído. É a referência na sensação de “movimento do fluir” do nosso dia-a-dia.

Na coluna encontramos cinco grande zonas simbolicamente distintas: CERVICALDORSALLOMBARSACRO e CÓCCIX. Em cada uma delas existem conflitos relacionados, mais precisamente em cada uma das 33 vértebras, variando em função da sua posição e dos órgãos nas quais se encontram relacionadas.

CERVICAIS

O pescoço é o prolongamento da cabeça e ajuda a aumentar o perímetro de recepção da informação que nos chega através dos 5 sentidos. Por outro lado, leva a informação da cabeça para a parte inferior do corpo. É um local de CONEXÃO entre cabeça-corpo, um lugar onde passam muitos condutos: os nervos, veias, artérias, traqueia, laringe, esófago, onde flui sangue, alimentos e informação. É a conexão entre o que ocorre na minha na cabeça e o com o meu corpo, ou entre o que ocorre no meu corpo e chega á cabeça. Assim, todas as patologias cervicais implicam um desacordo entre o que penso e o que faço. Há uma divergência entre os meus pensamentos e as minhas ações, levando a uma dor moral que se pode traduzir numa dor física na zona cervical. “Será que digo / faço o que eu penso?”

A palavra-chave das vértebras cervicais é a COMUNICAÇÃO.

Nas cervicais também se encontram a nossa VOZ, isto é: o que dizemoso que não dizemos, os segredos, a expressão do que somos em coerência com o que comunicamos, em conjugação com a cabeça, emoções e palavras. Por exemplo, um torcicolo é um sintoma que fala por si mesmo. Qual é a utilidade de um torcicolo? Impede o movimento lateral da cabeça, justamente afetando os músculos que nos permitem dizer “NÃO”. Momentos antes de um torcicolo, normalmente no dia anterior, relembrar qual foi o momento em que querias dizer “não” mas disseste “sim”. Vais encontrar uma resposta. Em torcicolos, por norma, podem encontrar-se pessoas que dizem “sim” quando querem dizer “não”, não existindo coerência entre o que pensam, sentem e falam /fazem.

DORSAIS

Em torno da parte central da coluna vertebral encontramos os órgãos básicos para a sobrevivência: coração, pulmões, fígado, estômago. Os conflitos emocionais que mais afetam esta zona e vértebras estão relacionados com pessoas que se sentem como sendo os PILARES DA FAMÍLIA, pessoas que são elementos centrais dentro do clã familiar, que se responsabilizam por carregar ou solucionar os problemas de todos. Com os “pilares da família” todo o mundo pode contar com eles e, ocupar esse lugar, implica transportar uma carga muito pesada. Sentem que trazem consigo o peso dos demais e necessitam de ser os mais fortes para suportar todos.

Para ilustrar este conceito de pilar de família, nada melhor que expor um caso de uma mulher que trabalha como enfermeira em um hospital. Pela primeira vez na vida, entra em baixa médica porque desde há dois meses que não se consegue levantar. Os médicos diagnosticaram uma Espondilite Anquilosante, (patologia que leva à fusão das vértebras) sendo neste caso dorsais, provocando uma rigidez e impedindo movimentos livres. O que acontece é que ela trabalha para todo o mundo. Ela é o “Pilar” central de qualquer coisa, desde ao nível familiar, profissional e social, e nunca diz “não” quando alguém lhe pede algo, dizendo automaticamente “sim”, transportando consigo todos os temas “pesados” da família. A senhora cuidava dos seus irmãos quando estavam doentes, ajudava-os economicamente, judicialmente, nos quais se encarregava de ajudar quase todos eles. Com isso, consciencializou-se que precisa de uma coluna muito forte para suportar isso tudo. Podemo-nos perguntar: “porque esta mulher ocupa este papel na família?” Indo pela sua história pessoal, no momento do seu Projecto Sentido Gestacional descobriu-se que os seus pais queriam um rapaz em vez de uma menina e que ela teve que assumir inconscientemente, desde sempre, um papel masculino e forte, onde tinha que suportar tudo e todos, num misto de serviço com sacrifício (ver também o caso ELEFANTE DE CARGA).

[…]

LOMBARES

Esta parte baixa da coluna partilha um espaço com os órgãos sexuais, parte do sistema digestivo inferior, os rins e bexiga, e representa a base de apoio da nossa estruturao que nos mantém erguidos ou nos faz subjugar. De uma forma geral, as lombares estão relacionadas com o tema da “relação com o outro”, que é a frase-chave desta região vertebral.

A tônica emocional que compõe esta zona encontra-se sobretudo ligada com as RELAÇÕES e a SEXUALIDADE. Em muitas mulheres, encontram-se lombalgias frequentes por sentirem um sentimento de culpa de fazerem “algo” que não deviam, depois de terem relações sexuais com os seus companheiros ou maridos. Por vezes, nas suas relações vivem uma relação de submissão feminina (“o dever da mulher é agradar o homem”), causando um desrespeito com um valor central na sua vida, em relação a si mesma ou na forma como vive o seu casamento. No caso de homens, pode existir uma relação de subjugação às suas namoradas ou esposas, no sentido de ter que acatar exigências emocionais excessivas.

SACRO

Tal como o nome que define esta zona, “sacro”, encontra-se relacionada com valores SAGRADOS que regem a nossa vida e se encontram desrespeitados ou desvalorizados, sendo estes: religiosos, políticos, humanos, familiares, de relação, etc.

CÓCCIX

Esta é a zona afetada quando nos sentamos numa cadeira ou num lugar qualquer. Quando há conflitos com o cóccix, pode remeter a problemas de identidade ao nível estrutural, com o lugar onde ocupo na minha família,como se existisse a sensação de “não tenho lugar na minha família”, “que me sinto excluído / aparte da minha família”, levando a questões como “Onde me sento na mesa da minha família?”, O que sou para eles?”

Sempre que em Psicossomática CH nos referimos aos ossos e músculos, baseamos no terreno emocional dos conflitos de DESVALORIZAÇÂO com uma sensação de: sinto-me rebaixado(a), inferiorizado(a), desrespeitado(a), menosprezado(a), incompetente, incapaz de…, etc, onde existe um conflito entre os meus VALORES / FUNDAMENTOS e os RESUTADOS das minhas acções. Assim, em qualquer temática osteoarticular, a solução passa por VALORIZAR-ME A MIM MESMO, ATENDENDO AOS MEUS FUNDAMENTOS. É vital criar um sistema de valores nos quais me sinto bem, vivê-los em coerência com a minha vida, destacando-os em relação aos outros e no lugar do mundo onde ocupo.

Em todas as patologias da coluna, existe um biochoque que gera uma emoção que não se expressa e logo aparece o sintoma, neste caso sintomas osteoarticulares. Ao longo do tempo vai aumentando a tensão emocional, levando ao chamado “efeito jarro psicossomático”, que consiste em acumular pequenas coisas de pequena importância que se vão repetindo ao longo do tempo, sobrecarregando o tecido muscular, articulatório, com desgaste do mineral ósseo. Ao fim de algum tempo, aparece o sintoma vertebral através de situação na vida aparentemente insignificante (um conflito com alguém, uma mudança de trabalho, um projeto novo, etc…), sendo essa a gota que faz transbordar o jarro psicossomático. Na maioria das vezes, baseia-se num conflito de baixa intensidade que se repete durante muito tempo.

Fontes original: biodiana.com
Traduzido por: Marco Sousa
Texto adaptado por: Coach Giardino
Informação bibliográfica:
Sellam, Dr.º Salomon, Los huesos – generalidades (vol. 7), Bérangel Editorial, 2011
Sellam, Dr.º Salomon, Los huesos – La espalda (vol. 8), Bérangel Editorial, 2011

image-1

 

Coach Giardino

Apaixonado por pessoas, Coach desafiador, autor do livro “Reflexões, Sinta-se Melhor!”  , Amo refletir sobre a vida. Nas demais horas cuido de uma menina maravilhosa de 16 anos, faço comida, ofereço treinamentos online e escrevo no blog Coach Giardino