Categoria: Crenças limitadoras

A teoria dos Campos Mórficos explicando os padrões familiares

Entenda através da teoria de Sheldrake porquê os padrões familiares se repetem ao longo de gerações, e o que fazer para quebrar padrões ruins com a Microfisioterapia

RUPERT SHELDRAKE é biólogo, bioquímico e autor de mais de oitenta artigos científicos e dez livros. Ele foi classificado como um dos 100 Maiores Líderes Globais em 2013, segundo o Instituto Duttweiler, Zurique, Suíça. Ex-membro pesquisador da Royal Society, estudou ciências naturais na Universidade de Cambridge, na Inglaterra, onde concluiu o doutorado em bioquímica. Também estudou filosofia e história da ciência em Harvard. Foi membro do Clare College, em Cambridge, onde foi diretor de estudos de bioquímica e biologia celular. Atualmente, ele é membro do Institute of Noetic Sciences, na Califórnia, e do Schumacher College, em Devon, Inglaterra.

Rupert Sheldrake é um dos biólogos mais controversos de nosso tempo. As suas teorias não só estão revolucionando o ramo científico de seu campo (a biologia), mas estão transbordando para outras áreas ou disciplinas como a física e a psicologia.

Sheldrake postulou a hipótese mais revolucionária da biologia contemporânea: a da Ressonância Mórfica. As mentes de todos os indivíduos de uma espécie, incluindo o homem, se encontram unidas e formando parte de um mesmo campo mental planetário. Ele denominou esse campo mental de Campo Morfogenético, que afeta as mentes dos indivíduos e as mentes destes também afetariam ao campo.

“Cada espécie animal, vegetal ou mineral possui uma memória coletiva a qual contribuem todos os membros da espécie a qual formam”, afirma Sheldrake. Deste modo se um indivíduo de uma espécie animal aprende uma nova habilidade, será mais fácil para todos os outros indivíduos da dita espécie aprendê-la, por que a dita habilidade “ressoa” em cada um, sem importar a distância a qual se encontrem. E quantos mais indivíduos a aprendam, tanto mais fácil e rápido lhes resultará aos demais.

Ressonância mórfica: a teoria do centésimo macaco
Na biologia, surge uma nova hipótese que promete revolucionar toda a ciência

Era uma vez duas ilhas tropicais, habitadas pela mesma espécie de macaco, mas sem qualquer contato perceptível entre si. Depois de várias tentativas e erros, um esperto símio da ilha “A” descobre uma maneira engenhosa de quebrar cocos, que lhe permite aproveitar melhor a água e a polpa. Ninguém jamais havia quebrado cocos dessa forma. Por imitação, o procedimento rapidamente se difunde entre os seus companheiros e logo uma população crítica de 99 macacos domina a nova metodologia. Quando o centésimo símio da ilha “A” aprende a técnica recém-descoberta, os macacos da ilha “B” começam espontaneamente a quebrar cocos da mesma maneira.

O campo onde está conectada a informação genealógica, descreve Rupert Sheldrake, de um ponto de vista quântico: “Existem na natureza alguns campos chamados Morfogenéticos, os quais são como estruturas organizadoras invisíveis que modelam ou dão forma a tais coisas como plantas ou animais, que também têm um efeito organizador em contra partida”.

Estes campos morfogenéticos contém informações recompiladas de toda a história e da evolução passada, algo como uma “memória racial” de Freud ou o “inconsciente coletivo” de Jung ou o “circuito neurogenético” de Timothy Leary. A ressonância mórfica, o princípio de memória coletiva, pode ser aplicado ao estudo da árvore genealógica. Cada família têm sua própria memória coletiva a que todos os seus membros estão conectados e têm acesso.

A transmissão transgeracional ocorrerá pois neste campo mórfico há uma memória comum compartilhada por todos os membros de um mesmo clan, tenham ou não convivido nas mesmas coordenadas espaço temporais. Isso poderia ser uma outra forma de entender o inconsciente coletivo e o inconsciente familiar? Responderia porquê os segredos e os não dizeres de uma geração exercem esse tremendo efeito nas gerações seguintes?

Claudine Vegh, dizia que “vale mais saber uma verdade, ainda que seja difícil, vergonhosa ou trágica, que ocultá-la, porque aquele que se cala, é subordinado ou descoberto pelos outros e esse segredo se converte em um trauma mais grave a longo prazo”.

Anne Ancelin Schützenberger estudou a fundo:”Os duelos não feitos, as lágrimas não derramadas, os segredos de família, as identificações inconscientes e lealdades familiares invisíveis” passam para os filhos e os descendentes. “O que não se expressa por palavras se expressa por dores”.

Podemos nós, os descendentes, modificar essa informação armazenada no campo? A cura da árvore consiste em remover a repetição, compreendê-la, ou repetir-la de uma forma positiva.

Na Microfisioterapia, trabalhamos sobre a queixa do paciente. Se a queixa for um hábito que a pessoa carrega, um medo, ou padrões que ela tende a adotar que lhe tragam algum desconforto ou prejuízo e que  ela queira trabalhar e compreender as razões pelas quais ela tende a tomar certas decisões, por exemplo, conseguimos encontrar a causa, a origem daquele determinado padrão, que por vezes pode encontrar-se na família. Trazendo a informação à tona e estimulando a autocura por assim dizer, a pessoa reúne então forças para mudar quaisquer padrões que tenham sido trabalhados, mesmo aqueles que têm sua origem na história de seu clã familiar.

Dra. Simone Carvalho

Coach Giardino

Executive & Life Coach

Facilitador Sistêmico

Constelação Familiar Individual

Contato: 71 985454125

Como funciona a constelação familiar no atendimento individual?

Coach_Giardino_constelacaofamiliarO cliente trará uma questão a ser colocada na constelação, algo que ele deseja ver resolvido e que tenha relação com ele.

Após ter noção exata do objetivo do cliente, o terapeuta começará a dispor os personagens envolvidos na questão, que são geralmente a própria pessoa e sua família atual, quando casado, ou também a família de origem, com o pai, mãe, irmãos e às vezes tios e avós. São solicitados que fatos marcantes na vida da família sejam colocados, quando se tiver conhecimento, como separações, abandonos, adoções, aborto, mortes trágicas, doenças que ocorrem repetidamente durante as diversas gerações, etc.

No caso de problemas profissionais, podem-se dispor tanto personagens para cargos, como gerentes, diretores, fundadores, etc., para departamentos, para filiais e até para objetivos e planos. Para auxiliar o processo de constelação, são utilizados bonecos playmobill, pequenos blocos de madeira, âncoras espaciais ou a visualização. Todos os passos são acompanhados e vivenciados pelo cliente, trazendo profunda compreensão da situação exposta.

As sessões individuais de constelação familiar são adequadas para familiarizar o cliente com o método do pensamento sistêmico. Durante o processo, ocorre uma sinergia muito grande entre terapeuta e cliente, e o processo e qualidade das imagens internas do cliente podem ser atentamente acompanhados pelo terapeuta através da observação corporal, da expressão dos sentimentos secundários e das explicações no decorrer da constelação. A busca interior pela harmonização da situação – a imagem da solução, que acontece com o cliente é acompanhada cuidadosamente, e quando existe a ressonância entre a imagem de solução e o sistema envolvido, ambos – cliente e terapeuta – sentem uma concordância imediata. Assim ocorrem as soluções sistêmicas, que levam a mudanças graduais e progressivas nas situações reais. O efeito imediato é o alívio que a vivência da imagem de solução provoca no cliente, tirando o “peso do problema” que amarrava qualquer atitude positiva e possibilitando o foco nas possíveis soluções.
Como funciona a constelação familiar em grupo?

Nas constelações em grupo, numa data previamente agendada, são reunidas pessoas que desejam constelar uma situação (esclarecer um problema) ou pessoas que desejam presenciar e participar das constelações, mas sem expor nenhuma situação-problema. Da mesma forma que na sessão individual, o terapeuta conduz o cliente que trouxe uma questão a expor o problema com objetividade, sem julgamentos ou culpas. São levantados os fatos ocorridos na família, e a partir disso o cliente escolhe pessoas para representar a si e à sua família durante a constelação. Estas pessoas não têm prévio conhecimento do cliente nem de sua família, o que não importa para que o sistema que envolve o problema comece a se desenrolar naturalmente. Muitas vezes os participantes percebem em si atitudes e pensamentos típicos do personagem que eles estão assumindo, e mais tarde o próprio cliente confirma as sensações descritas como sendo verdadeiras. As sensações e emoções vividas durante o trabalho de constelação familiar sistêmica são altamente esclarecedoras e não raro casos complicados são resolvidos em apenas uma participação.

Qual a diferença entre o trabalho de constelação em grupo e o individual?

Os efeitos são os mesmos, mas a técnica é diferente. No trabalho em grupo, são solicitados que representantes entre as pessoas auxiliem na dinâmica, fazendo o papel de “personagens” envolvidos da questão do cliente, conforme a disposição solicitada pelo facilitador. Estes representantes comunicarão as sensações que têm no papel e se movimentarão em busca do caminho de solução para a questão. Na constelação individual, o próprio cliente, orientado pelo facilitador, perceberá as sensações e buscará o caminho de solução.
O cliente deverá perceber em qual tipo de constelação se sente mais confortável.

Que problemas ou sintomas posso trabalhar com a constelação sistêmica?

▪ problemas no relacionamento (afetivo – familiar – geral)
▪ doenças, câncer, doenças crônicas
▪ distúrbios alimentares como obesidade ou anorexia
▪ vícios (drogas, alcoolismo, etc.)
▪ medo, fobias, traumas, angústia, depressão
▪ dificuldades financeiras e questões com herança, fracassos
▪ desenvolvimento profissional
▪ questões de fecundidade, abortos e adoção
▪ questões empresariais

O que são sistemas?

O ser humano é regido por sistemas, que podemos explicar como programações herdadas principalmente pela família, mas também do meio onde vivemos, que acaba dando características emocionais e comportamentais a ele. Os sistemas atuam de forma inconsciente, e determinam características tais como: traços de personalidade, vocação, talento para determinada área, tendência a doenças ou acidentes, afinidade por determinadas pessoas, habilidades inatas, etc. Grupos de pessoas e organizações também formam um sistema, que é a soma de todos os sistemas individuais que já fizeram parte deste grupo. Este sistema maior, coletivo, determina se este grupo é harmonioso, se tem facilidade de conquistas financeiras ou sucesso em sua área de atuação, se possui longa duração ou curta, etc.

Quais os principais sistemas que influenciam uma pessoa?

O principal é o sistema familiar. Somente pelo fato de ter nascido de um pai e de uma mãe, o indivíduo carrega toda uma carga de informações vindas dos pais e dos ancestrais. Estas informações exercerão grande influência na personalidade, no comportamento e nas escolhas que o indivíduo fará durante a sua vida.
O sistema de crenças – aquilo que o indivíduo toma como verdade – também é fundamental, pois determina e justifica uma série de atitudes tomadas pela pessoa. Existem também sistemas que regem a vida profissional, sentimental, a saúde física, etc.

Se os sistemas determinam quase tudo na minha vida, como posso mudar minha vida para melhor?

Os sistemas lhe dão informações, tendências. Dentro dos sistemas, existem tanto informações que lhe trazem obstáculos, como outras que lhe trazem conforto, equilíbrio. Você, ao conhecer profundamente seu sistema, tem a opção de escolher qual caminho tomar. O caminho da realização e equilíbrio é uma das opções.

O que, especificamente, posso trabalhar com as constelações sistêmicas?

Em qualquer situação onde você necessite abrir caminhos novos, encontrar soluções, sentir-se aliviado, entender o outro e relacionar-se melhor. Qualquer assunto que possa ser trabalhado terapeuticamente pode ser utilizada a constelação sistêmica. E qualquer assunto envolvendo coaching de desenvolvimento pessoal e profissional também pode ser utilizada esta técnica.

Qual o embasamento teórico da constelação sistêmica?

A constelação sistêmica a princípio surgiu de um desenvolvimento de técnicas terapêuticas consagradas, extraídas dos trabalhos de Virginia Satir, Jakob Moreno e Fritz Perls e sintetizado pelo alemão Bert Hellinger. A partir do trabalho de Hellinger, a constelação passou a ser aplicada em organizações empresariais (Gunthard Weber e Jan Jacob Stam), escolas (Marianne Frank) e com a utilização de técnicas de programação neurolingüística, também é um instrumento de consultoria pessoal e coaching eficaz.

Existe alguma ligação com alguma linha religiosa ou espiritualista?

Não. É uma técnica de desenvolvimento pessoal e terapêutica como tantas outras.

Quantas sessões são necessárias para eu trabalhar uma questão pessoal?

A constelação sistêmica, por trabalhar principalmente o conteúdo da mente inconsciente, produz um efeito logo na primeira sessão e abrirá inúmeros insights ao cliente. Não marcamos um retorno do cliente, que poderá voltar geralmente com outro assunto, no prazo que ele mesmo determina.

Posso fazer constelação no lugar de outra pessoa?

Sim, desde que a questão que você queira trabalhar seja algo que lhe esteja afetando pessoalmente e que seja possível você tomar atitudes concretas a respeito da situação. A constelação não trabalha o problema “do outro”, mas o que está me afetando ao ver o problema do outro. A partir daí, por você fazer parte de um sistema que engloba você e o outro, qualquer mudança sua provocará uma mudança no sistema. Reequilibrando o sistema, a tendência é que o outro também seja beneficiado por isso.

Qual a mudança efetiva que a constelação sistêmica me propicia?

Você aprenderá a perceber em si mesmo quais caminhos são mais propícios à sua realização pessoal. Entenderá de forma até então não percebida como você é, aceitará melhor a si mesmo e assim saberá tomar suas decisões com equilíbrio e certeza. Por entender melhor a si, entenderá melhor o outro. Aprenderá a colocar-se diante das pessoas, sabendo utilizar o “sim” e o “não” com sabedoria. Descobrirá em si as coisas que realmente lhe importam, o foco que realmente lhe dá prazer e satisfação. Perceberá que existe uma interconexão profunda entre as pessoas, e somente com esta compreensão é possível realizar-se plenamente, já que o seu caminho também está ligado aos caminhos de muitos outros. A constelação poderá também conduzi-lo a uma reconexão profunda com o seu sistema familiar, o que lhe abrirá a sensibilidade, despertando a qualidade da compaixão e amor incondicional pelo próximo.

Fonte pesquisa: Constelação Sistêmica