O despertador de Consciência

Repetimos cada ano as felicitações e os desejos. As reuniões, as comemorações e celebrações. Seja em casa, na rua, no restaurante ou mesmo na praia, enchemos a nossa visão com distrações. E que se cumpram todos os seus desejos, mesmo os mais reprimidos deles.

Nada contra. Tudo esta perfeitamente perfeito.

Os que nasceram nos anos 50 já viram passar 67 anos de festejos e celebrações, ao esperar a entrada do novo ano. Saudosos os de décadas anteriores, com os de décadas posteriores. Cada um traz na memória as suas “boas” experiências.

Nada contra. Tudo esta perfeito no universo.

Estou satisfeito com minha saúde e prosperidade. Pouco ou nada me importa meus desejos reprimidos ou não. Acredito ser importante “o despertar” de onde surgem as doenças, a prosperidade, a ruína e os desejos de todo o tipo.

Da mesma forma ofereço, para quem quiser receber, é o mesmo que peço para mim. Eu não quero ouro, tampouco bijuteria e nada de distrações, e sim, descansar de todas elas. O descanso surge do despertar e não em dormir.

O último dia já não importa, o ano inteiro tampouco. Se te dou o ano inteiro, fará o mesmo que fizeste este ano, um ano mais. Nada! Hoje te ofereço o primeiro dia, te ofereço tudo para você. Peço tudo para você. Um despertador de sonhos, das ilusões e da prisão mental.

O despertar é uma condição pessoal, e tudo esta bem também.

Feliz 2018

Coach Giardino

Executive & LifeCoach

Mentor e Facilitador Sistêmico

Contatos:

contato@ricardogiardino.com

0055 71 985454125

Uma em cada cinco mulheres, em Salvador, já foi agredida – Diga não a violência

Todos os dias, são dias de refletir as ações típicas “masculina” sobre às mulheres. Contingente maioritário, tratado como minoria social, por uma infectada lastra de descuidos e desrespeito com a mulher que perdura por muito séculos.

Acabou, terminou, finalizou. Nem guerra e nem polêmica. Vamos ensinar a nossos filhos a responsabilidade do respeito as pessoas, principalmente a mulher.

Bisavó, avó, mãe, irmã, tia, sobrinha, sogra, nora, namorada, noiva, esposa, filha, cunhada, amiga, vizinha, colega e sobretudo qualquer outra mulher.

O Dia Internacional para a não-Violência Contra as Mulheres é comemorado anualmente em 25 de novembro.

A data tem o objetivo de alertar a sociedade sobre os casos de violência e maus tratos contra as mulheres. A violência física, psicológica e o assédio sexual são alguns exemplos desses maus tratos.

De acordo com as estatísticas, uma em cada cinco mulheres sofre de violência doméstica. A violência contra a mulher é uma questão social e de saúde pública, não distingue cor, classe econômica ou social, está presente em todo o mundo.

Origem da data

A Organização das Nações Unidas (ONU), desde 1999, reconhece o dia 25 de novembro como o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres.

A data surgiu em decorrência do Dia Latino-americano de Não Violência Contra a Mulher, que foi criada em homenagem às irmãs Pátria, Maria Tereza e Minerva Maribal, que foram violentamente torturadas e assassinadas nesta mesma data, em 1960, a mando do ditador da República Dominicana Rafael Trujillo.

As irmãs eram conhecidas por “Las Mariposas” e lutavam por soluções para os diversos problemas sociais de seu país, a República Dominicana.

Coach Giardino

Executive & Life Coach

Coach Emocional

Contato:

☎️ 71 985454125

💻 contato@ricardogiardino.com