Quatro bons motivos para você aprender a dizer “não”

Desculpe mas minha resposta é NÃO! Este é um treinamento pessoal, exercite.

Sejam pessoais, familiares ou profissionais, todos temos objetivos que desejamos e precisamos atingir. Na interação social, muitos deles acabam se perdendo em função do outro. Mas saiba que é possível viver em sociedade sem sacrificar sua individualidade. Foque neste treinamento pessoal e aprenda de uma vez por todas a dizer não suave e definitivamente.

Você não só pode como deve ser gentil. Não há necessidade de grosserias, inclusive no tom de voz. O que você não pode é dizer sim, quando não quer ou não poderá cumprir o acordo.

Quantas vezes já passamos por esta situação embaraçosa? É uma verdadeira saia justa quando precisaríamos dizer sim para o outro, mas no fundo sabemos que nosso desejo é dizer não. Não faz diferença se é uma resposta para Chefe, subordinado, esposa, filhos ou amigos. O fato é que dizer não causa um problema imediato e dizer sim poderá ser um problema a curto, médio ou longo prazo. Na pior das hipóteses poderá ser até um sim não cumprido, o que nos coloca em apuros bem piores dependendo da situação. Dizer sim quando se quer dizer não pode transformar-se num monstro tão fora de controle que o arrependimento acaba inevitável.

https://youtu.be/99Lf1o0YBRs

Por que você deve dizer não? 4 Bons Motivos. 

1. As pessoas vão respeitá-lo.

As pessoas que dizem sim para tudo, em uma tentativa de ser amado, são rapidamente reconhecidas como ingênuas. Quando você diz a alguém que possui limites está mostrando que respeita a si mesmo – e é assim que você ganha o respeito dos outros. 

2. As pessoas vão vê-lo como mais confiável.

Quando você fala sim significa que você tem tempo e capacidade real de fazer um grande trabalho (e entrega um grande trabalho), você vai ganhar uma reputação de ser confiável. Se você disser que sim a tudo, você é obrigado a fazer um trabalho “meia-boca” em tudo.

3. Quando você é seletivo com suas tarefas, você vai aproveitar melhor suas forças naturais.

Se você se concentrar nas coisas que você é bom, você vai ser capaz de melhorar seus talentos naturais. Por exemplo, se você é um grande escritor, mas você não é tão grande como um artista, você pode se oferecer para escrever discursos, mas você não deve se inscrever para fazer os cartazes para o seu clube. Concentre-se em sua força e aprimore suas habilidades (e sua experiência).

4. Sua vida será menos estressante.

Você pode sentir a tentação de dizer sim para as pessoas, a fim de agradá-las. No longo prazo, você só está prejudicando a si mesmo e aos outros quando você faz isso. Você se estressa por sobrecarga  e sente o aumento contínuo desse estresse. Quando menos perceber  vai decepcioná-las.

Dizer não é uma arte a ser pensada, treinada e aprendida. 

Adote este hábito como um treinamento pessoal. Você pode escolher bem as palavras, o tom de voz, a maneira e o melhor momento, só não pode adiar indefinidamente. Mantenha o foco:

1 Pense antes de falar
2 Escolha as palavras e o tom de voz
3 Seja honesto

Mentira tem pernas curtas e se você não for um mestre em mentir ganhou mais um problemão. Com a prática você torna-se um especialista em dizer não e sente na pele os grandes benefícios.

1 O primeiro deles é o respeito adquirido por si mesmo e pelo outro.
2 O segundo será não precisar mentir e ficar mais perto de cumprir todos os acordos que faz.
3 O terceiro e mais valorizado em longo prazo é que atinge mais de seus objetivos.

Vamos dizer o óbvio aqui.           

Você nunca deve dizer não a alguém que está apenas pedindo que você tome conta de suas responsabilidades reais (como um empregado, aluno, voluntário, etc). Se for, você deve ter um ótimo motivo para estar dizendo não ou poderá ter que procurar  um novo emprego em breve. Fique de olho nas suas responsabilidades, objetivos e contribuições na empresa e use o senso comum.

Autor: Andre Jensen

Coach Giardino
Executive & Life Coach
Contato: coaching@ricardogiardino.com

O perigo de aceitar como normal aquilo que nos causa sofrimento

O medo do sofrimento

Todos nós temos medo de sofrer acontecimentos “traumáticos” na vida. E muitas vezes, esse medo direciona a nossa vida para bem longe dos conflitos.

E assim, à medida que tentamos evitar situações estressantes, que podem nos causar sofrimento (acidente, doença, divórcio, brigas, perdas, conflitos ou situações de guerra), ocorrem em nosso ambiente outras situações que parecem mais tranquilas.

No entanto, diversos estudos sobre o estresse e seus impactos na vida diária (Sandin e Choroit, 1991), demonstram que são os pequenos estresses do dia a dia que causam um maior número de problemas mentais.

“Não era a profundidade o que me afogava, mas o tempo que passei debaixo d’água”. Frida Kahlo

Quais são os problemas que nos afetam diariamente?

Existem muitas rotinas diárias em nossa vida que podem estar afetando nossa saúde física e emocional.

As rotinas diárias são aceitas pelo compromisso social, pelo hábito, necessidade, medo da mudança ou obrigação. Na maioria das vezes isso acontece inconscientemente.

Citamos aqui alguns fatores que, com o passar do tempo, podem nos afetar. Se você lida com eles, é conveniente fazer uma mudança ou colocar um ponto final.

Atitudes superprotetoras.

– Ciúmes do parceiro.

– Conflitos no trabalho, no casamento, com familiares ou amigos.

– Problemas de comunicação com os demais.

– Brigas e gritos que não o deixam descansar.

– Isenção de responsabilidades.

– Acúmulo de tarefas.

Não se esqueça de que, dependendo da pessoa, a situação pode ser mais ou menos estressante.

Reflita: até que ponto isto que aceito como normal está me prejudicando como pessoa?

É correto permitir que meu espaço seja desrespeitado continuamente? Qual é o limite e como lidar com tudo o que me desagrada?

As consequências dos pequenos estresses diários

Esses pequenos problemas muitas vezes passam despercebidos até que se manifestam de forma mais evidente.

Sentimos impotência e culpa por percebermos que muitas dessas coisas desagradáveis já nos fizeram bem. Esse sentimento é normal quando tentamos enfrentar e acabar com um problema; muitas coisas mudam e outras permanecem estáveis.

O importante é perceber que o nosso ambiente é favorável a nós, e não hostil.

Isto não tem nada a ver com a sua capacidade de sacrifício, luta e entrega. É uma questão de inteligência emocional.

É difícil remar forte e por muito tempo, por isso tente encontrar um ambiente favorável para você e não um ambiente que complique mais a sua vida.

Do contrário, esse sentimento de impotência frente aos estressores vai se tornar crônico, nos tornaremos mal humorados e não conseguiremos realizar mudanças produtivas em nossa vida.

Nossas rotinas diárias serão prisões para nossos sentidos e desejos, e até a depressão pode aparecer como consequência desses pequenos “problemas diários”.
Portanto, faça uma pausa, tente encontrar momentos de descanso e relaxamento para recuperar as forças e seguir em frente.

Relaxar nos ajuda a renovar, a voltar  com mais energia e com os pensamentos e as ideias mais claras.

Cuide da sua rotina,
cuide do seu dia a dia,
cuide de você.

Texto original em espanhol de Cristina Roda Rivera

Coach Giardino
Executive & Life Coach
(55 71 985454125)